Parábolas, Filmes Seculares e o Poder da História

Como uma ocupada mãe homeschooler de três filhos, eu geralmente me atualizo em notícias nacionais e globais por pesquisas no Google e vídeos no youtube. Recentemente, eu estava assistindo a novos vídeos sobre o Furacão Florence, quando uma série de anúncios apareceram sobre um serviço de streaming de filmes Cristão bem conhecido. 

Esses serviços de streaming são uma tentativa de oferecer versões de serviços de streaming seculares mais castos e “puros”. Como uma assinante de alguns desses serviços seculares, eu sou grata pelos esforços deles, já que eu e meu marido nos encontramos tendo que manter a custódia dos nossos olhos cada vez mais quando assistimos programas de TVs. A ideia de ter um serviço de streaming inteiro em que essas práticas de precaução seriam desnecessárias? Isso certamente soa muito atraente. Eu sinceramente aprecio os esforços desses serviços de streaming Cristãos. Eu acho que o desejo deles de prover opções de entretenimento para a família é louvável.

Dito isso, eu não acho que nós deveríamos nos limitar a filmes e programas de TV explicitamente Cristãos. Eu acho que podemos achar Deus em filmes e programas de TV seculares também.

Enquanto filmes cristãos (ou especificamente católicos)  podem certamente excitar o meu coração para um amor maior por Deus, eu também já me vi profundamente mobilizada por filmes do Star Wars, programas de TV e filmes de super heróis, Downton Abbey e The Crown. Boa arte pode nos levar até Deus, mesmo se ela não mencioná-Lo explicitamente.

Jesus mesmo sabia disso. Essa é a razão pela qual ele contava muitas parábolas. Se você prestar atenção, você pode notar que as parábolas não citam Deus explícitamente. Jesus nos conta sobre o Bom Pastor, o Bom Samaritano, a Parábola dos Talentos, a Parábola do Grão de Mostarda, a Pérola de Grande Valor, etc. Nenhuma dessas histórias é religiosa. Na verdade, a única figura claramente religiosa no Bom Samaritano não é nem sagrada.

Deus não deve ser colocado em uma caixa. Ele nem sempre age da forma que nós esperamos (até a encarnação certamente não é como as pessoas esperavam o Messias vir). Mas ele sempre age de forma consistente com quem Ele é. Deus é o criador, e tudo o que Ele deseja é bom, belo e verdadeiro. Se nós buscamos o que é bom, belo e verdadeiro, nós iremos achar Deus.

Eu não vou citar nomes, mas existe um filme Católico bem brega que eu amava no ensino médio. Esse filme me arrancou lágrimas mais vezes do que eu posso contar. Ele me ajudou a amar mais profundamente os santos? Sim. Era um filme fantástico do ponto de vista artístico? Provavelmente não. Isso é muitas vezes verdade para filmes explicitamente cristãos e programas de TV. Sem os benefícios de um orçamento de Hollywood, é mais difícil produzir trabalhos deste calibre. Deus ainda age por meio de filmes bregas.

Deus também age por meio de obras de arte maravilhosas, mesmo que elas não sejam rotuladas como Cristãs. Eu me lembro de assistir a mais nova versão da Mulher Maravilha, e dizendo ao meu marido no final do filme, “Meu Deus. Isso me faz querer sair e ser uma santa!” Como nas parábolas, filmes como Mulher Maravilha contam uma boa história. Boas histórias – e boas pinturas e boa música – mexem profundamente com a gente. A beleza deles fala com a gente no fundo dos nossos corações. Quando nos apaixonamos com um personagem de integridade, coragem e bondade, isso nos faz desejar aquelas qualidades para nós mesmos. Se a história é envolvente o suficiente, nós saímos dela nos sentindo capazes da verdadeira grandeza. 

Alguns anos atrás eu participei de uma palestra em uma conferência e o orador brincando nos disse para ir e “fazer católicas todas as coisas!” A mensagem me fez refletir. Nós somos chamados para clamar tudo o que é bom, belo e verdadeiro para Cristo. Os produtores de Mulher Maravilha se programaram para fazer um filme sobre santidade? Provavelmente não. Mas foi isso que eles fizeram. Eles contaram uma história que incluía temas como redenção, amor sacrificial, e coragem. Mais importante que isso, eles contaram a história deles de uma maneira verdadeiramente bonita e poderosa.

Eu certamente recomendo aproveitar filmes cristãos e programas de TVs, se isso é atraente para você. A mídia moderna pode parecer um campo de batalha eventualmente, e às vezes é um alívio apenas ligar alguma coisa sem se preocupar com se deparar com uma situação de pecado. Tendo dito isso, não tenha medo de buscar e assistir filmes de qualidade que não sejam explicitamente cristãos. Um filme não tem que falar de Jesus para que nós possamos encontrá-Lo na história. Assim como na parábola do Bom Pastor, às vezes a melhor forma de conhecermos quem Deus é, acaba sendo pelo poder de uma boa história. Entender a onipotência com as nossas mentes fracas é difícil. O poder da história pode nos ajudar a entender melhor o que ela significa. 

Eu me lembro de me apaixonar pelo homem que agora é o meu marido. Nós estávamos na faculdade na época, e eu me lembro de andar pelo campus e sempre buscar pelo campo, pelo salão de jantar ou pelos corredores lotados uma pequena visão de seu cabelo cacheado ou a sua blusa vermelha favorita. Frequentemente, eu caminhava por todo o campus sem vê-lo, mas às vezes eu via alguém que se parecia um pouquinho com ele. Eu ficava desapontada por não ser ele (e porque, obviamente, eu pensava que nenhum outro cara era tão fofo quanto o meu cara), mas ter aqueles lembretes dele fazia o meu coração bater um pouco mais rápido. Ter aqueles lembretes dele me fazia procurar ainda mais por ele, por desejar mais profundamente vê-lo. Eu não achava os amigos dele atraentes, mas vê-los me fazia muito feliz, porque eu sabia que eles eram homens que eram próximos dele. 

5 1 votar
O que você achou?
Assinar
Notifição de
0 Comentários
Feedbacks online
Ver todos os comentários
0
Deixe seu comentário no post!x
Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.